• Slideshow
  • Slideshow
  • Slideshow
  • Slideshow
  • Slideshow

Conselho Regional de Biologia - 4a Região

Conselho Regional de Biologia - 4a Região

Procura

Banner

e-Bio

Deixe seu e-mail para receber o e-Bio, a newsletter eletrônica semanal do CRBio-04.
Banner
Principal Notícias Realizado o Papo com Biólogo sobre caça
Realizado o Papo com Biólogo sobre caça PDF Imprimir E-mail
Qua, 29 de Novembro de 2017 23:10
Foi realizada na noite desta quarta-feira, 29 de novembro, a sétima edição do Papo com Biólogo, que debateu o tema "A legalização da caça e o manejo de espécies". O evento foi realizado na sede do CRBio-04, em Belo Horizonte, com transmissão simultânea pelo Facebook. 

Participaram do debate o professor da UFV Rômulo Ribon e o analista do Ibama/MG Junio Augusto dos Santos Silva, que defendem abordagens distintas sobre o tema. Por sorteio realizado previamente Rômulo Ribon foi o primeiro a falar.

O professor da UFV iniciou sua apresentação buscando esclarecer uma recorrente confusão que se faz no uso de termos relacionados à Ecologia. "Conservação é o uso racional de recursos naturais renováveis, enquanto preservação é a proteção integral de determinado recurso. Muitos têm uma visão da natureza como algo intocável, o que é um paradoxo à nossa própria sobrevivência", pontuou. 

Rômulo também chamou a atenção para o fato da atual legislação brasileira já prever o manejo sustentável, apesar de ainda não regulamentado. Como consequência dessa desregulamentação o biólogo elenca alguns cenários, como um artigo publicado em 2015 na Ecology and Society que fez uma grande análise da caça ilegal no Brasil somente por meio da busca de vídeos no YouTube. "Biólogos que vão a campo estão muito acostumados a encontrar moradores de regiões mais isoladas que andam armados, que possuem armadilhas para a captura de animais. São pessoas que estão caçando durante todo o ano, sem qualquer tipo de orientação, o que está errado", ponderou. 



O professor também relatou aos participantes sobre sua experiência vivendo em Wisconsin, estado localizado no norte dos Estados Unidos. Rômulo afirmou que a região é abundante em fauna silvestre, avistada facilmente, ao contrário do que acontece no Brasil. Contudo, o estado possui 697 mil caçadores registrados. "Os Estados Unidos possuem 562 áreas de refúgio de fauna, criadas e mantidas com recursos oriundos das atividades de caça legalizada", explicou. 

Na sequência do Papo com Biólogo o analista ambiental Junio Augusto deu início à sua fala salientando a necessidade de se deixar o lado passional de lado para se estabelecer um debate concreto sobre o tema. O biólogo fez um apanhado histórico da legislação brasileira sobre a caça e ponderou que as normas foram se tornando mais restritivas com o passar do tempo para tentar coibir diversas práticas, como a da caça furtiva. 

Apesar de citar duas experiências bem-sucedidas de reservas extrativistas com crocodilianos no norte do Brasil, Junio disse ter dúvidas se essa seria uma alternativa viável para a geração de recursos para proteção ambiental no país. "Não pode haver generalizações. Cada caso é um caso. O que funciona lá não necessariamente funcionaria aqui", explicou.

Posteriormente o biólogo detalhou sua rotina no Ibama com o trabalho de manejo de javalis, espécie invasora que tem gerado diversos problemas no país, como perda de biodiversidade, pisoteio em áreas de proteção e predação de espécies nativas. "A questão é: o interesse do Ibama é eliminar o javali. Mas esse é o interesse do manejador? Não, ele quer continuar exercendo sua atividade. E o objetivo do Ibama não é fomentar uma indústria de manejo". 

Também citando o exemplo norte-americano, Junio ponderou que os recursos da lei Pitman-Robertson e Ducks Unlimited (regulamentação americana que destina a renda gerada com a caça para ações de conservação) são, essencialmente, destinados às áreas em que estão as espécies que são alvo da caça. "Sim, estamos promovendo melhorias de habitat, mas 'coincidentemente' só daquelas espécies que são de nosso interesse". 

Ao final das apresentações os participantes puderam direcionar perguntas aos palestrantes. O vídeo da transmissão simultânea do evento está disponível na página do CRBio-04 no Facebook e pode ser assistido aqui: https://goo.gl/tsCFym. Em breve a gravação completa (com melhor qualidade de áudio e vídeo) estará disponível no canal do Conselho no YouTube, onde estão disponibilizadas todas as edições anteriores do Papo com Biólogo na íntegra.